7 de fevereiro de 2018

Principais tendências em marketing digital para 2018

por Sandra R. Turchi

Quando falamos em tendências, é importante considera-las não de forma isolada, mas como parte de um conjunto amplo no qual movimentos diversos, oriundos dos mais variados sentidos, acabam convergindo em algum momento e exercendo influências mútuas. A partir deste raciocínio, algumas das principais tendências em marketing digital projetadas para 2018 na verdade estão despontando agora ou mesmo já eclodiram em anos anteriores.

Este é o caso, por exemplo, da transformação digital, que vem se impondo como um dos movimentos mais proeminentes do universo dos negócios. Vale salientar que transformação digital é um conceito abrangente e que extrapola o uso das tecnologias para “resolver problemas pontuais” do cotidiano. Engloba a forma como as empresas e os profissionais devem atuar para competir em ambientes cada vez mais complexos, instáveis e impactados por mudanças constantes.

O termo está intimamente associado ao conceito de “digital mindset”; ou seja: é uma completa mudança na forma de compreender e, principalmente, de aplicar a tecnologia. Exige uma forte transformação interna, na cultura da própria empresa, e principalmente, no que diz respeito ao envolvimento das lideranças: a priori, entendendo sobre o assunto, para, em seguida, apoiar as diversas frentes de mudanças necessárias no âmbito da organização.

Em marketing, veremos a transformação digital contribuindo cada vez mais para proporcionar experiências personalizadas a clientes que estão demandando soluções adaptadas a necessidades individuais. Estou falando de customização. Outra forte tendência em marketing digital projetada para 2018 será a “expansão”, por meio da descoberta de novas funcionalidades, tanto no uso quanto na aplicação de conceitos e/ou ferramentas como: ​

Big data – Houve neste ano avanços significativos, sobretudo em ferramentas de web analytics. Elas tornaram a análise de dados (estruturados ou não) ainda mais sofisticada, e mais assertiva a identificação de padrões de consumo. Contribuíram para a implantação de estratégias de marketing mais eficientes, proporcionado a gestores conquistar melhores resultados. Em 2018, a tendência é que novos avanços ocorram em Big Data, que vai convergir cada vez mais junto a sistemas de Inteligência Artificial (o Big Data, a propósito, é o maior combustível para a AI).

AI – Falando em Inteligência Artificial, assistimos neste momento a um amadurecendo do conceito, embora ele ainda não esteja completamente consolidado, principalmente no Brasil. Testemunhamos o seu crescimento exponencial, sobretudo em chatbots e outras soluções de comunicação instantâneas. A Inteligência Artificial vai continuar no foco em 2018. Caberão às empresas, no então, torná-la emocionalmente mais inteligente e com mais capacidade de aprendizado – o que viabilizará uma nova geração de serviços digitais.

IoT (Internet das Coisas) –  As esferas digital e física caminham para se tornar um conceito único: all line. A separação que hoje fazemos, entre on e off-line, perderá completamente o sentido. A quantidade de dispositivos conectados à web (e entre si) vai crescer de modo exponencial tanto em 2018 quanto nos anos seguintes. Em marketing digital (ou seria marketing all line?), a utilização de dados coletados por meio de dispositivos IoT permitirão a criação de ações cada vez mais personalizadas, assertivas e com ROI mais eficazes. O consumidor será cada vez mais impactado por ações que irão refletir as suas necessidades particulares. Ele, inclusive, já não vê distinção alguma entre o on e off-line. O próprio consumidor já é tendência. As empresas precisam compreender essa realidade.

Omni-channel – Consumindo produtos, serviços e, principalmente, conteúdo de múltiplos dispositivos – e ao mesmo tempo, o usuário já é omni-channel. A tendência permanecerá em alta no próximo ano (e nos posteriores). As empresas que insistirem em manter um único canal perderão não apenas vendas, mas relevância – o que é fatal para qualquer companhia. As marcas que, por sua vez, aproveitarem todo o potencial de dados e informações disponíveis poderão criar estratégias de mobilidade cada vez mais integradas aos múltiplos canais de contatos. Elas poderão engajar os consumidores onde eles estiverem, se beneficiando do diálogo para gerar conversão.

Mobile – Faz tempo que o acesso à internet via dispositivos móveis superou o de outras plataformas, principalmente o desktop. Canal mais personalizado entre todos, o mobile, seja no site ou em apps, estará cada vez mais personalizado em 2018. Ele vai proporcionar experiências cada vez mais exclusivas, sendo um dos principais impulsionadores do engajamento de usuários. Aliás, veremos no próximo ano uma elevação do tíquete médio de compras feitas por meio de dispositivos móveis. O mobile será um importante aliado para geração de leads, tanto em pontos físicos quanto online.

Mixed reality – As realidades virtual e aumentada estarão cada vez mais integradas em 2018. Veremos tecnologias all line convergindo para tornar a experiência do usuário ainda mais exclusiva. É provável que surja um novo Pokémon GO, até hoje um dos maiores cases de realidade mista levada a consumidores finais.

Tags: , , ,
  • Sandra R. Turchi
    Sandra R. Turchi

    É sócia-fundadora da Digitalents, empresa de Consultoria, Treinamentos e Talentos (hunting, coaching e outsourcing) focada no universo digital. Administradora de empresas formada pela FEA-USP, pós-graduada pela FGV-EAESP e MBA pela Business School SP e Toronto University. Também cursou empreendedorismo na Babson College. Foi executiva de marketing por mais de 20 anos nos setores de Varejo, Financeiro, Educacional e de Serviços em empresas como Lojas Arapuã, Grupo Zogbi, Finasa-Bradesco, FGV, Associação Comercial de SP e Boa Vista Serviços. Eleita um dos professores de marketing mais influentes nas mídias sociais no mundo pela revista SM Magazine. Leciona nos MBAs em Marketing Digital da FGV, FIA, Saint Paul, entre outras instituições. Coordenadora dos cursos de extensão em Marketing Digital e Mídias Sociais na ESPM-SP desde 2008. Articulista de diversos veículos, como revistas e portais, no Brasil e na Europa.