8 de março de 2019

O business partner como presente e futuro da profissão de Contabilidade/Controladoria

por José Carlos T. Oyadomari

Texto: Claudio Wanderley e José Carlos Oyadomari

Uma pesquisa desenvolvida pela Juliana Thereza Barbosa, Mestre em Controladoria e Finanças Empresariais pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, sob orientação do Prof. José Carlos Oyadomari, identificou que a interação entre as áreas de controladoria e marketing influencia positivamente a construção do conhecimento sobre medidas de desempenho na área de marketing, e que isso influencia positivamente o desempenho. O estudo mostrou que é importante que o controller atue como um business partner junto à área de marketing.

Entretanto, para que o controller tenha esse papel mais consultivo, faz-se necessário que haja a interação com profissionais de outras áreas. Na visão do Prof. Oyadomari da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a criação e compartilhamento de conhecimento, que é denominada como “Ba” pelos Professores Nonaka e Takeuchi é importante tanto junto a profissionais de operações (confira o estudo neste link), como entre os próprios profissionais do departamento de controladoria (confira o estudo aqui.)

“Para que haja criação de conhecimento é necessário que haja interação, embora a questão virtual seja importante, o relacionamento presencial é ainda a melhor forma de interação. Os contadores devem ter a postura de aprendizado, isto é, admitir que não conhecem tudo e interagir para desenhar melhores relatórios gerenciais e medir o desempenho de outras áreas ainda não contempladas”, explica Oyadomari.

O business partner como presente e futuro da profissão de Contabilidade/Controladoria

 
Segundo o PhD e professor da UFPE Claudio Wanderley, a profissão de contabilidade/controladoria possui diferentes tipos de perfis que podem ser adotados por contadores/controllers. Por exemplo, os contadores/controllers podem adotar uma postura mais tradicional (o chamado guarda-livros, ou inglês bean-counters) que tipicamente está associado as atividades de registro e acumulação de dados, demonstrações financeiras, análises financeiras, e controle e fiscalização da performance dos gestores operacionais relacionando aos indicadores financeiros; ou uma postura mais orientada para estratégia (o chamado parceiro de negócio, ou inglês business partner) que usualmente está associada com alto nível de envolvimento com o negócio e alto grau de integração com outras funções da empresa com o objetivo de integrar informações financeiras com indicadores não-financeiros.

Pesquisam apontam que o desenvolvimento recente da profissão de contabilidade /controladoria envolveu uma modificação do papel do controller de bean-counter para uma visão de parceiro do negócio (business partner) dentro das organizações. A retórica comumente defendida que os contadores/controllers são parceiros na gestão (business partner) é amplamente suportada e patrocinada pelas associações profissionais, bem como, pelas universidades e institutos de contabilidade. Por exemplo, o Chartered Global Management Accountant (CGMA) lançou um documento sobre os princípios globais de contabilidade gerencial.

Esse documento advoga que o papel dos contadores/controllers é de suportar e permitir a implementação e o desenvolvimento da estratégia da companhia, bem como, ser um criador de valor para a organização. Assim, a futura (ou já presente) profissão de contabilidade/controladoria será a da profissão de business partner, cujo o grande objetivo é o de informar para transformar.

Gostou das informações sobre o papel do business partner na Contabilidade? Então não se esqueça de assinar nossa Newsletter para receber dicas no seu e-mail!

Mais conteúdo no livro Contabilidade Gerencial

LEIA TAMBÉM

 

Tags: , , ,
  • José Carlos T. Oyadomari
    José Carlos T. Oyadomari

    José Carlos Tiomatsu Oyadomari é Professor do Mackenzie (UPM) e do Insper e Doutor em Ciências Contábeis pela FEA/USP.