23 de agosto de 2018

Contabilidade e Matemática Financeira: principais junções e diferenças

por Lilian Massena Gallagher

Muita gente associa Contabilidade a Matemática. Já me perguntaram até a diferença entre Contabilidade e Matemática Financeira. A princípio, estranhei a pergunta. Num segundo passo, compreendi que talvez a dúvida não fosse tão bizarra assim.

Então, resolvi escrever esse post explicando a diferença entre essas duas ciências, ambas muito importantes para quem deseja trabalhar no mercado financeiro ou gerenciar um negócio.

A matemática financeira estuda o valor do dinheiro no tempo. Um exercício típico dessa disciplina é calcular o valor presente ou valor futuro de um fluxo de caixa. Exemplificando, estaria falando de resolver questões do tipo “é melhor pagar a vista ou a prazo determinado bem?”. Um outro exemplo seria calcular os juros de determinado financiamento.

Já a Contabilidade vai se preocupar com o registro das operações. Como assim? Vamos imaginar uma empresa que tem funcionários, custos, móveis, paga aluguel, vende, fabrica o que vende e daí por diante.

Os registros contábeis de todas suas operações vão propiciar que todos seus stakeholders (acionistas, clientes, funcionários, fornecedores e governo) compreendam se a empresa é lucrativa, se é endividada e qual o retorno que ela dá para aqueles que investiram nela: seus acionistas. E por aí vai.

Mas será que há uma intersecção entre as duas ciências?

Ambas se juntam quando analisamos projetos de investimento, por exemplo. A Contabilidade fornecerá os dados que serão usados para avaliar o projeto mais lucrativo e rentável do ponto de vista financeiro, conta essa feita com os conhecimentos da Matemática Financeira.

No mercado financeiro, o conhecimento das duas ciências é fundamental para tomarmos decisão de investimento.  Será que uma empresa merece crédito do banco? De quanto? A análise contábil da companhia será fundamental para responder essas questões.

Já o analista fundamentalista certificado CNPI (Certificado Nacional do Profissional de Investimento) utilizará os dados da Contabilidade e conceitos de Matemática Financeira para calcular o valor justo de uma ação negociada em bolsa.

Como visto, não há como descartar o aprendizado de Contabilidade e Matemática Financeira no mundo dos negócios.  Por isso conceitos de ambos caem no exame de certificação da ANBIMA CPA-20 e CEI (Certificação para Especialistas de Investimentos).

Para quem tem mais interesse no assunto, possuo duas obras que tratam dos exames de  certificação da ANBIMA, para profissionais que desejam atuar no mercado financeiro e de capitais. São elas Exame de Certificação ANBIMA CPA-10 e Exame de Certificação ANBIMA CPA-20.

 

Fonte: Blog Lilian Gallagher

 

LEIA TAMBÉM

Quem é o cliente private banking

Certificações CPA-10 e CPA-20: a porta de entrada para trabalhar no mercado financeiro

Tags: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Lilian Massena Gallagher
    Lilian Massena Gallagher

    Atua no mercado financeiro há mais de 26 anos e, desde os primórdios da exigência de certificação pelo Banco Central do Brasil, vem ajudando pessoas a alavancarem suas vidas profissionais. É Mestre em Administração pela Universidade Estácio de Sá e tem mestrado em Administração pelo Instituto COPPEAD de Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora convidada de diversas universidades, trabalhou nos bancos Bozano Simonsen, Nacional/Unibanco, BankBoston e Brascan. Autorizada pela CVM a prestar Consultoria de Valores Mobiliários. Certificada pela ANCORD e CPA-20. Autora de vários livros voltados para as provas de certificação do mercado financeiro e de finanças pessoais, entre eles Exame de Certificação ANBIMA CPA-20, publicado pelo GEN | Atlas.