10 de setembro de 2019

Dúvidas sobre o CPC 01? Confira detalhes sobre o teste de recuperabilidade

por José Carlos Marion

O Teste de Recuperabilidade, também conhecido como teste de Impairment, é uma das alterações da Lei 11.638/07 que, por meio da CPC 01, define a metodologia a ser aplicada para verificar se a empresa possui ativos de longo prazo que estejam contabilizados por um valor que possam ser recuperados por uso ou por venda. 

De acordo com o CPC 01, “o objetivo deste Pronunciamento Técnico é estabelecer procedimentos que a entidade deve aplicar para assegurar que seus ativos estejam registrados contabilmente por valor que não exceda seus valores de recuperação”.

O teste de recuperabilidade ajuda a descobrir quanto valem o seus ativos e qual é o valor recuperável dos mesmos. Ele também responde a questões importantes, como: “quanto esse ativo (ou unidade geradora de caixa) irá valer se for colocado a venda?” ou “Após utilizá-lo e, com o passar do tempo, esse valor continuará sendo o mesmo?”.

Quando o teste de recuperabilidade é feito?

 
Apesar de não ter uma data fixa ou pré-estipulada, a recomendação é que o teste deva ser aplicado ao menos uma vez por ano. Essa sugestão se baseia na rotina contábil, que já conta com a realização de demonstrações contábeis ano a ano. Logo, o período de elaboração do balanço é um bom momento para verificar a ocorrência de ativos que representem perda de representatividade econômica para o negócio.

Como calcular o teste de recuperabilidade?

 
Os principais indicadores para o cálculo do teste são a obsolescência, reestruturação ou venda parcial de um ativo e performance econômica pior do que a esperada. Logo, havendo algum desses indícios, o teste de impairment deve ser aplicado imediatamente a fim de estimar o valor recuperável da sua perda.

Para realizar o cálculo, é necessário encontrar o Valor Recuperável do ativo, já que o Valor Contábil já está registrado. Basta seguir os passos a seguir:

  • Determinar o valor contábil líquido do bem;
  • Determinar o valor recuperável do bem;
  • Fazer uma comparação entre o valor contábil e o valor recuperável (Pelo valor líquido de venda e pelo valor líquido de uso).

Saiba mais sobre o CPC 01 e o teste de recuperabilidade

 
Se você busca aprofundamento no tema, conheça o Curso IFRS na Prática, com os melhores e maiores nomes da área no Brasil!

Com Sérgio de Iudícibus, José Carlos Marion e Ricardo Rios, este curso aborda o CPC 01 – Teste de Recuperabilidade de Ativos e cita os pontos mais críticos para estudantes e profissionais.

Curso Online - IFRS - Temas Atuais na Prática

Os professores falam sobre a importância do teste de recuperabilidade — com exemplos práticos de como fazer o teste —, que precisa feito sempre que houver indícios de que os valores dos ativos não são recuperáveis economicamente e para todos os tipos de empresas.

Como bônus, o curso traz um bate-papo imperdível, de 1h30, entre Iudícibus, Marion e Rios, e ainda debate o tema O IFRS e a realidade brasileira: a implantação da IFRS, suas consequências, seu contexto no país.

No módulo 2, você saberá tudo sobre o teste de recuperabilidade de ativos e o CPC 01. Veja os tópicos que serão abordados:

Módulo 2 – Teste de recuperabilidade de ativos – CPC 01

 

  • Contexto/conceitos/objetivos;
  • Indicadores internos e externos;
  • Valor recuperável – aplicação do teste;
  • Cálculo do valor em uso;
  • Taxa de desconto;
  • Resultado do teste;
  • Tratamento da perda;
  • Reversão da perda;
  • Unidade geradora de caixa;
  • Resumo;
  • Caso prático.

Que tal degustar o curso? Clique aqui para saber mais!

Gostou de saber mais sobre o teste de recuperabilidade? Então não se esqueça de assinar nossa Newsletter para receber dicas no seu e-mail!

LEIA TAMBÉM

Tags: , , , ,
  • José Carlos Marion
    José Carlos Marion

    É mestre, doutor e livre-docente em Contabilidade pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/ USP). É professor e pesquisador do Mestrado em Contabilidade na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Dentre os 29 livros publicados na área contábil, é autor de Contabilidade rural, Contabilidade empresarial e Contabilidade básica e coautor de Curso de contabilidade para não contadores, Contabilidade avançada, Introdução à teoria da contabilidade, Contabilidade comercial, Administração de custos na agropecuária, Manual de contabilidade para pequenas e médias empresas, Contabilidade geral para concurso público, Contabilidade da pecuária e Normas e práticas contábeis, publicados pelo GEN | Atlas.