15 de maio de 2020

Empatia, liderança e comunicação em época de crise

por Patricia Itala Ferreira

Retorno hoje para compartilhar algumas reflexões que tenho tido nesses tempos de isolamento social. Conversando com vários profissionais que atuam em cargos diversos, de empresas diversas, inclusive em posições de gestão, três principais palavras têm chamado minha atenção: a empatia, a liderança e a comunicação (ou a falta deles).

Empatia

 
Esse é o momento de maior incerteza que eu já vivi até hoje. Tenho percebido comportamentos lindos, de empatia, de preocupação, de cuidado com o outro, em situações diversas, inclusive, em momentos difíceis por definição, como, por exemplo, quando desligamentos precisam ser feitos. Inúmeras são as iniciativas para tentar ajudar na recolocação das pessoas desligadas, como parcerias com outras empresas que precisam contratar, ajuda na elaboração de currículo, concessão de auxílio financeiro durante algum tempo, enfim…. Percebam que vários exemplos que dei não demandam muitos recursos da empresa, apenas tempo.

Por outro lado, também tenho conhecido práticas desnecessariamente rudes, como pessoas sendo desligadas por meio de whatsAp, muitas vezes enviado no final do expediente ou no final de semana. Eu nunca vou esquecer uma situação que vivenciei quando uma empresa em que eu trabalhava precisou desligar 80 por cento do seu quadro. Eu era gestora nessa época e a dona da empresa fez questão de ir comigo, na sala em que minha equipe ficava e, quando eu não consegui dar a notícia, por ter começado a chorar, ela tomou a palavra e falou com a equipe, também com lágrimas nos olhos.

Liderança

 
A liderança nunca foi tão importante como hoje. Para guiar, para conduzir, para confiar. Ter um apenas um “chefe” e não um líder, nunca foi tão danoso para os empregados como está sendo hoje em dia. Muitas pessoas (empregados) estão deprimidas, doentes, com medo, sozinhas. Aqueles que possuem o poder e controlam pelo medo, explícito ou não, impactam, ainda mais, nesse momento em que as pessoas estão tão frágeis e vulneráveis. Flexibilidade e empatia, além de uma escuta ativa, são importantes para manter o engajamento e o clima organizacional, ainda que muitos estejam trabalhando de forma isolada em suas residências.

Comunicação

 
Mais que nunca é necessário, não só da organização, mas da liderança, uma comunicação constante, empática, objetiva, que não deixe dúvidas sobre como agir e por que agir. A comunicação deve fluir por meio de diferentes canais e é necessário considerar o impacto de uma comunicação mediada pela tecnologia, que, muitas vezes, não nos permite perceber sinais não verbais de comunicação muito relevantes.

Feedback, redundância e ausência de mensagens ambíguas são fundamentais para um adequado andamento das atividades. Criar uma atmosfera em que não haja medo nem de perguntar, nem de responder é uma das atividades principais de um gestor que seja também um líder de pessoas. Saber dizer que não sabe a resposta, de forma aberta, sincera e verdadeira é um ato de coragem que apenas um líder de verdade compreende; se por um lado demonstra fragilidade, por outro, demonstra imensa força e gera respeito. O momento é difícil, mas vai passar. Como você, gestor, quer ser lembrado no futuro? Já pensou sobre isso?

Tenho conhecido alguns gestores que têm conseguido, na sua atuação, considerar esses três elementos muito importantes sempre, mas, especialmente, hoje. E você? Como tem sido sua gestão? Você tem liderado pelo exemplo ou pelo medo?

Mais conteúdo no livro Comunicação Empresarial

LEIA TAMBÉM

Tags: , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Patricia Itala Ferreira
    Patricia Itala Ferreira

    Concluiu em 1993 a graduação em Psicologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e, posteriormente, em 1997, tornou-se Mestre em Administração de Empresas pela mesma universidade. Há mais de 20 anos atua em projetos de consultoria em gestão de pessoas e educação corporativa. É professora da PUC-Rio, em cursos de graduação e pós-graduação, nas modalidades presencial e a distância. É também tutora da FGV Online e da pós-graduação em Gestão da Educação a Distância na UFF e da pós graduação em educação empreendedora, uma parceria do Departamento de Educação da PUC Rio com o SEBRAE. Autora dos livros Clima organizacional e qualidade de vida no trabalho (GEN | LTC, 2013), Atração e seleção de talentos (GEN | LTC, 2014), Gestão por competências (GEN | LTC, 2015) e Comunicação Empresarial (Atlas, 2016), em parceria com Gustavo Malheiros e do curso online Psicologia Aplicada à Administração (GEN | Atlas, 2018). Finalista do Prêmio Ser Humano da ABRH 2014 e ganhadora da premiação em 2015 e 2016 na categoria trabalhos acadêmicos.