19 de abril de 2018

A importância da empatia na comunicação corporativa

por Patricia Itala Ferreira

Sobre empatia, comunicação e amor… tenho discutido muito em meus artigos pontos relativos à gestão de pessoas. Apesar de o foco desse blog ser o ambiente da comunicação corporativa, trata-se de um assunto que pode ser extrapolado para qualquer realidade, visto que se trata de relacionamento entre pessoas. Vivenciei uma grande perda esse final de semana e resolvi falar sobre a importância da empatia na comunicação corporativa, comunicação e amor. Sou o tipo de pessoa que tem mais facilidade de escrever do que falar… então, vamos lá.

A importância da empatia na comunicação corporativa

 
Vimos, em várias atividades de gestão de pessoas – avaliação de desempenho, feedback (dar e receber), gestão por competência, seleção, comunicação –, que é muito importante ter empatia. Quer dizer, não me lembro exatamente de ter utilizado o termo empatia, mas, refletindo melhor, acho que o significado dessa palavra estava subentendido em alguma parte de tudo o que escrevi.

Comecemos pela definição de empatia: é a capacidade de sentir como o outro. Tentar, de fato, compreender o sentimento pela perspectiva do outro. Sentimentos não são comparáveis. Não existem sentimentos maiores ou menores, pois tudo depende da perspectiva daquele que sente, que vivencia uma determinada situação.

Portanto, é fundamental que todos nós, independentemente da área em que atuamos, façamos, constantemente, o exercício da empatia. Retomando os temas principais discutidos, vou indicar alguns itens que são excelentes exercícios de empatia ou, no mínimo, para reflexão: 

Processo seletivo

 
Tenha respeito pelo candidato. Atenda-o no horário em que agendou o processo seletivo e, caso não possa, peça desculpas e pergunte se ele prefere remarcar. Todos, independentemente de terem emprego ou não, possuem compromissos importantes e deve-se ter respeito por aqueles que reservaram um tempo de suas vidas para participar da seleção de uma vaga de determinada empresa.

Nunca deixe de dar um retorno sobre a aprovação ou não de algum candidato. As pessoas fazem planos e criam expectativas. Reserve algum tempo na agenda para se dedicar a essa atividade, que também faz parte do trabalho de quem seleciona.

Gestão de desempenho e feedback

 
Respeite a dificuldade do outro e utilize a avaliação de desempenho como forma de, verdadeiramente, ajudar a outra pessoa. Considere o momento que a pessoa está vivendo e seja sensível, o que não significa mentir, mas falar a verdade de forma respeitosa. Lembre-se de que todas as pessoas precisam de ajuda em algum momento da vida. Verifique se pode ajudar aqueles que, de fato, necessitam.

Dicionário de Coaching: os termos relacionados ao tema que você precisa entender

Foto: Istock/Getty Images

Diversidade

 
Tenha respeito pelas pessoas que não pensam, agem ou não são iguais a você. Não precisamos concordar com todos, mas conviver e respeitar aquele que é diferente (em aspectos físicos, políticos, religiosos ou comportamentais) é um exercício de cidadania e de amor.

Reveja seus pressupostos e categorizações sobre as pessoas “diferentes”. Repense suas atitudes. Talvez você seja tão diferente paro o outro quanto o outro o é para você. Quem sabe não seja uma oportunidade de aprendizado para ambos?

Bom, é isso. Já tomei muito o seu tempo. Dedico este artigo ao meu sempre querido Pitty, que me ensinou importantes lições sobre o amor. Espero que consigamos viver e ajudar a construir um mundo que seja mais empático, com comunicações honestas e amor.

Para quem tiver mais interesse, os meus livros Clima Organizacional e Qualidade de Vida no Trabalho e Comunicação Empresarial tratam desse assunto de maneira mais aprofundada.

Gostou das dicas sobre empatia na comunicação corporativa? Então não se esqueça de assinar nossa Newsletter para receber mais informações no seu e-mail!

LEIA TAMBÉM

Tags: , , , , , ,
  • Patricia Itala Ferreira
    Patricia Itala Ferreira

    Concluiu em 1993 a graduação em Psicologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e, posteriormente, em 1997, tornou-se Mestre em Administração de Empresas pela mesma universidade. Há mais de 20 anos atua em projetos de consultoria em gestão de pessoas e educação corporativa. É professora da PUC-Rio, em cursos de graduação e pós-graduação, nas modalidades presencial e a distância. É também tutora da FGV Online e da pós-graduação em Gestão da Educação a Distância na UFF e da pós graduação em educação empreendedora, uma parceria do Departamento de Educação da PUC Rio com o SEBRAE. Autora dos livros Clima organizacional e qualidade de vida no trabalho (GEN | LTC, 2013), Atração e seleção de talentos (GEN | LTC, 2014), Gestão por competências (GEN | LTC, 2015) e Comunicação Empresarial (Atlas, 2016), em parceria com Gustavo Malheiros e do curso online Psicologia Aplicada à Administração (GEN | Atlas, 2018). Finalista do Prêmio Ser Humano da ABRH 2014 e ganhadora da premiação em 2015 e 2016 na categoria trabalhos acadêmicos.