7 de junho de 2021

Gestão de Marketing 4.0 e a Indústria 5.0

por Edmir Kuazaqui

Mudanças e transformações são necessárias e contínuas, sempre no sentido de favorecer a entrega da proposta de valor ao mercado, que envolve desde os fornecedores de matéria-prima e serviços, até o cliente final. Com o avanço da tecnologia como prática de negócios e não somente para a otimização de processos e a redução de custos, temos a indústria 5.0 como uma das mais fortes evoluções das empresas.

O uso adequado das tecnologias como aquelas propiciadas pelo Big Data, Inteligência Artificial e Machine Learning, somente para citar algumas, tem propiciado oportunidades para o aumento da eficiência, eficácia, efetividade e qualidade na entrega de valor ao mercado ou, pelo menos, para as partes envolvidas que reconhecem esse movimento de transformação e atuam de forma a superar na adoção de boas práticas e ações.

Muito do que era considerado artesanal e passível de desvios, a parceria inteligente de empresas com máquinas com grau de resposta melhor torna mais material a indústria 5.0, tornando seus portfólios melhor elaborados e mais diferenciados. A ideia de uma fábrica inteligente, com toda a sua produção automatizada, informatizada e com gestão a partir de Inteligência Artificial não é mais produto de science fiction, pois já existem inclusive fazendas produtivas sem a intervenção humana direta.

Para aquelas empresas visionárias, esta realidade não está limitada somente para produtos e serviços de qualidade, mas na capacidade de soluções personalizadas e dentro desse processo, a necessidade de habilidade humana cognitiva. As tecnologias emergentes e ainda a serem desenvolvidas tem a importante função de identificar dados (unidades de trabalho) e conseguir agrupá-los no sentido de obter resultados distintos e relevantes, inclusive naqueles que ninguém conseguiu enxergar.

A presença humana cognitiva, expressiva, criativa, empreendedora e inovadora contribui para a modelagem intangível, qualitativa e por vezes, artística e posicionada como verdades referências de uma época. As unidades de trabalho devem ser transformadas naquilo que será o objeto de desejo das empresas, das empresas e porquê não dizer da própria Sociedade como um todo.

O Marketing 4.0 não se limita somente ao digital, mas em todas as interferências que podem influenciar produtos, serviços, negócios e a própria economia, decorrentes do desenvolvimento intensivo da tecnologia. Não temos mais como ter funções como um especialista de controle de qualidade, mas sim um profissional que gerencie dados, para que a área de marketing os transformem em informações que serão a base do portfólio de negócios e soluções de uma indústria.

Produtos, serviços e soluções. Esse foi o objetivo dos autores ao escrever “Gestão de Marketing 4.0. Casos, Modelos e Ferramentas” da Editora Atlas, no sentido de provocar novas formas de ser, pensar e agir em negócios. Fazendo uma correlação com um rio: geralmente as correntezas conduzem as águas para o mar, mas nem todos seguem o mesmo fluxo, permanecendo no meio do caminho; e outros, desembocam em grandes oceanos.

Mais conteúdo no livro Gestão de Marketing 4.0

LEIA TAMBÉM:

 

Tags: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Edmir Kuazaqui
    Edmir Kuazaqui

    Doutor e mestre em Administração. Coordenador dos MBA’s em Administração Geral, Marketing internacional e Formação de Traders, Pedagogia Empresarial, Compras, Startups: Marketing e Negócios, Comunicação e Jornalismo Digital da Universidade Paulista (UNIP). Professor da ESPM. Coordenador do Grupo de Excelência em Relações Internacionais e Comércio Exterior do CRA/SP. Consultor Presidente da Academia de Talentos. Autor de livros. E-mail: ekuazaqui@uol.com.br / www.academiadetalentos.com.br