13 de novembro de 2020

Qual foi o impacto dos stakeholders no setor de RH?

por Idalberto Chiavenato

A quem a organização serve e a quem ela deve prestar contas? Inclusive os Recursos Humanos (RH)? No passado, acreditava-se que as organizações deviam prestar contas a quem as fundou ou criou. Eram os proprietários que ingressavam com o capital de risco. Depois, com o crescimento, elas passaram a ter investidores e acionistas, que, junto com os proprietários, eram denominados shareholders.

Durante toda a Era Industrial, as organizações perseguiam o lucro para poderem remunerar o capital de risco. Os documentos mais importantes eram o balanço contábil e os demonstrativos financeiros. Todos os parceiros – gestores e empregados – trabalhavam no sentido de prestar contas aos shareholders.

A Era da Informação veio mudar totalmente essa realidade. Como o capital financeiro cedeu espaço ao capital intelectual e o conhecimento se tornou a maior fonte de riqueza, os shareholders cederam espaço aos stakeholders. E as organizações passaram a prestar contas a uma enorme rede de públicos estratégicos ao seu redor.

Qual foi o impacto dos stakeholders no setor de RH? Qual foi o impacto dos stakeholders no setor de RH?

Alguns stakeholders são internos (gestores e colaboradores), enquanto outros são externos. Alguns são próximos; outros, distantes. Tanto a organização como seus stakeholders estão envolvidos em uma constante e mútua adaptação. Os stakeholders investem à sua maneira na organização à espera de retornos.

Se o retorno é satisfatório, a tendência é mantê-lo ou aumentá-lo. Senão… Embora a organização deva manter um equilíbrio na satisfação de todos os stakeholders, ele nunca é completamente alcançado em virtude das mudanças de necessidades, de objetivos e de relações mutáveis de poder. Assim, essa adaptação é um processo constante cuja regra são a mudança e o ajustamento.

Todos os parceiros (internos ou externos) provocam um impacto sobre a adaptação e os processos de tomada de decisão da organização e vice-versa. Os clientes podem influenciar as decisões na área de marketing, enquanto os acionistas podem influenciar as decisões na área financeira.

Além disso, os limites da organização são flexíveis e não tão claramente definidos como nos organismos vivos. Eles se expandem e se contraem, incluindo certos grupos de membros ou excluindo outros, conforme o processo de adaptação e de tomada de decisão envolvido.

A Figura 1.6 exemplifica duas diferentes situações.

Qual foi o impacto dos stakeholders no setor de RH?

Qual foi o impacto dos stakeholders no setor de RH?

Quer saber mais? Então conheça o livro Recursos Humanos!

Mais conteúdo no livro Recursos Humanos

newsletter

LEIA TAMBÉM

Tags: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Idalberto Chiavenato
    Idalberto Chiavenato

    Idalberto Chiavenato é Doutor (PhD) e Mestre (MBA) em Administração pela City University of Los Angeles-CA, EUA, especialista em Administração de Empresas pela FGV-EAESP, graduado em Filosofia/Pedagogia, com especialização em Psicologia Educacional pela USP e em Direito pela Universidade Mackenzie. É professor honorário de várias universidades do exterior e renomado palestrante ao redor do mundo. É autor de mais de 30 livros das áreas de Administração, Recursos Humanos, Estratégia Organizacional, Comportamento Organizacional publicados no Brasil e no exterior. É fundador e presidente do Instituto Chiavenato, conselheiro do CRA-SP e membro vitalício da Academia Brasileira de Ciências da Administração onde ocupa a cadeira nº 47. Recebeu dois títulos de Doutor Honoris Causa por universidades latino-americanas e a Comenda de Recursos Humanos pela ABRH-Nacional.