26 de dezembro de 2018

A importância das Boas Práticas de Comunicação

por Patricia Itala Ferreira

No início de dezembro realizei uma palestra para empregados de uma organização sem fins lucrativos sobre comunicação, mais especificamente sobre Boas Práticas de Comunicação. Uma vez que percebi o grande interesse dos participantes sobre os assuntos abordados, resolvi compartilhar aqui alguns dos itens da palestra: comunicação interpessoal, dicas de como elaborar mensagens objetivas e claras e netiqueta (ou etiqueta na web).

As Boas Práticas de Comunicação

 
Na comunicação interpessoal, além dos ruídos frequentes em qualquer processo comunicacional, foi dado um amplo destaque a empatia, a comunicação não violenta. Empatia pode ser compreendida como a capacidade ou disponibilidade para sentir o que sentiria outra pessoa em uma determinada situação. É tentar compreender sentimentos e emoções procurando experimentar, de forma sincera, o que o outro sente.

A comunicação não violenta considera que todas as ações objetivam tentar satisfazer necessidades e defende que isso deve ser feito evitando o uso do medo, da vergonha, da acusação, da coerção ou das ameaças.
Em outras palavras, as necessidades, desejos, anseios e esperanças não devem ser satisfeitos às custas de outras pessoas.

Um ponto importante da comunicação não violenta é a capacidade de expressão sem julgamentos de “bom” ou “mau”, certo ou errado; devem ser expressos sentimentos e necessidade e não críticas ou juízos de valor. Precisamos praticar bastante esse tipo de comunicação!

Emissor e receptor

 
A comunicação, muita vezes, é falha porque o emissor não considera o receptor quando emite a mensagem, ou seja, não existe a preocupação com a empatia. Muitos acreditam que comunicar é simplesmente falar ou escrever, ou seja, independe se houve compreensão da mensagem por parte do receptor.

Essa visão é limitada e errônea. A comunicação só ocorre quando a mensagem transmitida é, de fato, compreendida, ou seja, o outro, o receptor, o cliente da mensagem deve ser o foco do processo e medidas devem ser tomadas para garantir que a compreensão ocorra. O feedback, por exemplo, é uma delas.

Abaixo seguem algumas dicas que compartilhei para proporcionar uma comunicação mais efetiva:

A importância das Boas Práticas de Comunicação

Os demais assuntos tratados na palestra já foram objeto de posts anteriores meus aqui no blog:

Essas e outras dicas são encontradas no livro Comunicação Empresarial.  Vale a pena conferir.

Gostou das dicas sobre boas práticas de comunicação? Então assine nossa newsletter para receber mais informações no seu e-mail!

LEIA TAMBÉM

Tags: , , , ,
  • Patricia Itala Ferreira
    Patricia Itala Ferreira

    Concluiu em 1993 a graduação em Psicologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e, posteriormente, em 1997, tornou-se Mestre em Administração de Empresas pela mesma universidade. Há mais de 20 anos atua em projetos de consultoria em gestão de pessoas e educação corporativa. É professora da PUC-Rio, em cursos de graduação e pós-graduação, nas modalidades presencial e a distância. É também tutora da FGV Online e da pós-graduação em Gestão da Educação a Distância na UFF e da pós graduação em educação empreendedora, uma parceria do Departamento de Educação da PUC Rio com o SEBRAE. Autora dos livros Clima organizacional e qualidade de vida no trabalho (GEN | LTC, 2013), Atração e seleção de talentos (GEN | LTC, 2014), Gestão por competências (GEN | LTC, 2015) e Comunicação Empresarial (Atlas, 2016), em parceria com Gustavo Malheiros e do curso online Psicologia Aplicada à Administração (GEN | Atlas, 2018). Finalista do Prêmio Ser Humano da ABRH 2014 e ganhadora da premiação em 2015 e 2016 na categoria trabalhos acadêmicos.