29 de novembro de 2019

A influência das tendências da administração nas empresas e nas pessoas

por Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira

Saiba quais são as influências das tendências da administração nas empresas e nas pessoas com o livro Administração, de Djalma Rebouças:

Influência das tendências da administração

Essas tendências da administração a curto, médio e longo prazos podem influenciar tanto as empresas como as pessoas; e, portanto, é importante se pensar como os efeitos dessas tendências podem ser benéficos.

Para debate, você pode considerar o apresentado a seguir.

Influências nas empresas

Existem pesquisas que mostram que, de forma geral, uma parte significativa das empresas se preocupa, com maior ou menor intensidade e sustentação, com as tendências que podem ocorrer com o assunto administração. A questão, entretanto, é o que essas empresas fazem a respeito!

Para sua análise, debate e complementação são apresentadas as seguintes influências das tendências e evoluções dos princípios e da prática administrativa:

Maior abrangência de aplicação das questões administrativas

Essa situação ocorrerá em todo e qualquer assunto administrativo, quer seja de maior ou menor complexidade, pois está-se verificando, com maior ou menor intensidade, que a administração facilita e sustenta a qualidade decisória nas empresas.

Aprimoramento dos instrumentos administrativos

Essa tem sido umas das principais contribuições da evolução do pensamento administrativo pelas constantes melhoras nas estruturações e consequente processo de aplicação dos diversos instrumentos administrativos.

Maior disseminação e utilização dos instrumentos administrativos

Essa situação é decorrência direta do item anterior, pois as estruturações dos instrumentos administrativos tornam esses mais acessíveis, entendíveis e aplicáveis pelos profissionais das empresas.

Aprimoramento das interligações entre os instrumentos administrativos

Isso como consequência direta das melhores estruturações e das disseminações dos instrumentos administrativos, os quais vão naturalmente ocupando os “espaços vazios” nos modelos administrativos das empresas, gerando um contexto administrativo mais simples, lógico, ágil e de baixo custo.

Maior facilidade de identificar “quem é quem”

Todas as tendências anteriores já começaram a influenciar a análise da atuação dos profissionais das empresas em geral, e dos administradores em particular. E aqui é que vai aparecer a validade de seu plano de carreira, inclusive com o estabelecimento de sua vantagem competitiva. Portanto, você tem, nesse contexto, a oportunidade de mostrar “qual é a sua” como profissional da administração.

Os modelos de administração deixarão de ser um problema nas empresas

Algumas empresas apresentam uma ou mais das seguintes situações:

• não tem modelo de administração e nem sabe o que é isso;
• não tem competência de estabelecer o modelo administrativo ideal para ela;
• não sabem aplicar um modelo administrativo; e
• não sabe o que fazer com um modelo administrativo.

Entretanto, as tendências evolutivas da administração estão revertendo essa realidade, pois as suas estruturações e divulgações estão, aos poucos, acabando com essas situações desagradáveis para as empresas.

Atualmente existem até softwares aplicativos de modelos administrativos, devendo-se tomar os naturais cuidados quanto à rigidez operacional desses aplicativos.

Influências nas pessoas

As tendências da administração a curto, médio e longo prazos podem provocar algumas influências nas pessoas. A questão aqui é qual a influência que essas pessoas vão proporcionar para o processo de identificação, análise e incorporação dessas tendências, pois existem pessoas que acham que tendências não existem e, quando alguém as informa a respeito, elas afirmam que já tomaram todas as providências, ou que não acreditam nelas sem explicar em quais tendências elas acreditam; ou, seja, elas não fazem nada a respeito!

Você pode considerar que as pessoas, de forma geral, demoram a perceber as influências da administração em suas vidas, quer seja no momento atual e, principalmente, a curto, médio e longo prazos. E por que isso ocorre?

Você pode considerar que a razão básica é o desconhecimento dos princípios e da prática administrativa, mas existem outros fatores que podem estar influenciando, positiva ou negativamente, essa situação, como:

Maior conscientização da importância da administração

Esse é um aspecto interessante do processo evolutivo do pensamento administrativo, pois as pessoas começaram a identificar, de forma natural, esse nível de importância talvez pela simplicidade e lógica das soluções administrativas.

Melhor sustentação no processo de aprendizado e de aplicação dos princípios, metodologias e técnicas administrativas

Essa pode ser considerada uma influência resultante da anterior e, também, porque as pessoas têm se mostrado, de forma geral, interessadas nesses aprendizados. Talvez, essa questão também sofra influência daquela máxima: o meu vizinho sabe e, portanto, eu também preciso saber administração.

Consolidação da aplicação da teoria e da prática administrativa em questões pessoais

Talvez essa questão seja o principal fator de aceleração da maior amplitude de aplicação da administração em praticamente todos os segmentos, pois é fácil as pessoas entenderem que o  importante para elas é, logicamente, muito importante para as empresas.

Consolidação do profissional da administração como um generalista com uma ou poucas especializações

Em uma empresa todos os assuntos ou instrumentos administrativos podem – e devem – ser aplicados na plenitude. Entretanto, uma pessoa não pode ser conhecedora e especialista em todas as questões administrativas e, se ela se julga como tal, pode estar certo que é um profissional “enganador”. Ser generalista é fundamental para conseguir trabalhar no importante princípio da administração integrada, mas quanto a ser especialista, a prática tem demonstrado que um profissional pode ter conhecimento profundo de um ou, no máximo, dois ou três assuntos administrativos. Naturalmente, é interagindo com outros colegas, especialistas de outros assuntos administrativos, é que o referido profissional pode consolidar a administração total ou integrada. E você deve consolidar essa situação desde o início de seu curso de administração.

Entendimento que a administração é um conhecimento que interage e contribui para praticamente todos os outros conhecimentos

Esse é um grande “lance” da administração como uma área do conhecimento, pois, nesse contexto, ela ajuda e recebe contribuições de praticamente todas as outras áreas do conhecimento. Essa é uma razão básica para se afirmar que a evolução do pensamento administrativo é um processo contínuo, sustentado, lógico, amplo e de elevada importância para as empresas e, também, para as pessoas.

É uma importante profissão

Pode-se afirmar que, cada vez mais, está acabando o possível preconceito quanto à alta validade da profissão de administrador, pois não existem mais dúvidas quanto à sua importância, em contextos de ampla aplicação ou em situações mais específicas. O resto é com você!

Mais conteúdo no livro Administração

Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba dicas no seu e-mail!

LEIA TAMBÉM

 

Tags: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira
    Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira

    - Atuação profissional: Consultor de empresas, palestrante, professor universitário e autor de livros de administração focados, principalmente, em questões estratégicas e organizacionais das empresas. - Formação educacional e experiência profissional: Graduado, pós-graduado, mestre, doutor e livre-docente em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP). Professor concursado de graduação e pós-graduação da referida faculdade, sendo o criador e docente das disciplinas “Consultoria empresarial”, “Reengenharia estratégica, organizacional e de processos” (mestrado e doutorado) e “Administração estratégica” (doutorado). Professor concursado de graduação e pós-graduação da Fundação Getulio Vargas (FGV), bem como professor dos cursos de pós-graduação da Fundação Vanzolini/Politécnica/USP, do CEAPOG/IMES (também exercendo a coordenação dos cursos), da FAAP e do MBA/IBMEC. Exerce suas atividades profissionais como consultor em planejamento estratégico, estrutura organizacional e sistema de informações gerenciais e como Diretor de PLANOS – Planejamento, Organização e Sistemas, tendo realizado serviços de consultoria e treinamento em, aproximadamente, 300 empresas – inclusive no exterior –, sempre junto a executivos focados em sua evolução profissional nas empresas e na aplicação dos modernos conceitos e práticas da administração.