7 de fevereiro de 2020

Nova alíquota da Previdência a partir de 1º de março de 2020

por Aristeu de Oliveira

PORTARIA Nº 2.963, DE 3 DE FEVEREIRO DE 2020 – DOU DE 4-2-2020

ALÍQUOTA DO INSS A PARTIR DE 1º/3/2020

Até R$ 1.045,00 = 14% – 6,5% = 7,5%
De R$ 1.045,01 até R$ 2.089,60 = 14% – 5% = 9%
De R$ 2.089,61 até R$ 3.134,40 = 14% – 2% = 12%
De R$ 3.134,41 até R$ 6.101,06 = 14% – 0% = 14%
De R$ 6.101,07 até R$ 10.448,00 = 14% + 0,5% = 14,5%
De R$ 10.448,01 até R$ 20.896,00 = 14% + 2,5% = 16,5%
De R$ 20.896,01 até R$ 40.747,20 = 14% + 5% = 19%
Acima de R$ 40.747,20 = 14% + 8% = 22%

ESCLARECENDO:

Se a MP nº 919/2020 for aprovada pelo congresso, o salário mínimo continuará sendo R$ 1.045,00. Se não for aprovada pelo congresso, volta para R$ 1.039,00.

CONFORME PORTARIA Nº 2.963, DE 3/2/2020 – DOU DE 4/2/2020, A PARTIR DE 1º/3/2020, VALERÃO AS TABELAS DE ALÍQUOTA A SEGUIR:

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DOS SEGURADOS EMPREGADO, EMPREGADO DOMÉSTICO E TRABALHADOR AVULSO, PARA PAGAMENTO DE REMUNERAÇÃO A PARTIR DE 1º DE MARÇO DE 2020

 

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO ALÍQUOTA
Até R$ 1.045,00……………………………. 7,5%
De R$ 1.045,01 até R$ 2.089,60……… 9%
De R$ 2.089,61 até R$ 3.134,40……… 12%
De R$ 3.134,41 até R$ 6.101,06……… 14%

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DOS SERVIDORES – RPPS PAGAMENTO DE REMUNERAÇÃO A PARTIR DE 1º DE MARÇO DE 2020

 

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO ALÍQUOTA
Até R$ 1.045,00……………………………. 7,5%
De R$ 1.045,01 até R$ 2.089,60……… 9%
De R$ 2.089,61 até R$ 3.134,40……… 12%
De R$ 3.134,41 até R$ 6.101,06……… 14%
De R$ 10.448,01 até R$ 20.896,00……16,5%
De R$ 20.896,01 até R$ 40.747,20……19%
Acima de R$ 40.747,20…………………. 22%

Veja a seguir a Portaria nº 2.963/2020, DOU de 4/2/2020:

“Diário Oficial da União
Publicado em: 04/02/2020 | Edição: 24 | Seção: 1 | Página: 16
Órgão: Ministério da Economia/Secretaria Especial de Previdência e Trabalho
PORTARIA Nº 2.963, DE 3 DE FEVEREIRO DE 2020
Dispõe sobre o reajuste dos valores previstos nos incisos II a VIII do § 1º do art. 11 da Emenda Constitucional nº 103, de 12 de novembro de 2019, que trata da aplicação das alíquotas da contribuição previdenciária prevista nos arts. 4º, 5º e 6º da Lei nº 10.887, de 18 de junho de 2004. (Processo nº 10133.100029/2020-91).
O SECRETÁRIO ESPECIAL DE PREVIDÊNCIA E TRABALHO DO MINISTÉRIO DA ECONOMIA, no uso da competência delegada pela Portaria GME nº 117, de 26 de março de 2019, e tendo em vista o disposto no § 3º do art. 11 da Emenda Constitucional nº 103, de 12 de novembro de 2019, no art. 9º da Lei nº 9.717, de 27 de novembro de 1998, e nos arts. 71 e 180 do Anexo I do Decreto 9.745, de 08 de abril de 2019, resolve:
Art. 1º Conforme § 3º do art. 11 da Emenda Constitucional nº 103, de 12 de novembro de 2019, os valores previstos nos incisos II a VIII do § 1º do mesmo artigo, ficam reajustados em 4,48% (quatro inteiros e quarenta e oito décimos por cento), índice aplicado aos benefícios do Regime Geral de Previdência Social.
§ 1º Em razão do reajuste previsto no caput, a alíquota de 14% (quatorze por cento) estabelecida no caput do art. 11 da Emenda Constitucional nº 103, de 2019, que entrará em vigor em 1º de março de 2020, será reduzida ou majorada, considerado o valor da base de contribuição ou do benefício recebido, de acordo com os seguintes parâmetros:
I – até 1 (um) salário-mínimo, redução de seis inteiros e cinco décimos pontos percentuais;
II – acima de 1 (um) salário-mínimo até R$ 2.089,60 (dois mil, oitenta e nove reais e sessenta centavos), redução de cinco pontos percentuais;
III – de R$ 2.089,61 (dois mil, oitenta e nove reais e sessenta e um centavos) até R$ 3.134,40 (três mil, cento e trinta e quatro reais e quarenta centavos), redução de dois pontos percentuais;
IV – de R$ 3.134,41 (três mil, cento e trinta e quatro reais e quarenta e um centavos) até R$ 6.101,06 (seis mil, cento e um reais e seis centavos), sem redução ou acréscimo;
V – de R$ 6.101,07 (seis mil, cento e um reais e sete centavos) até R$ 10.448,00 (dez mil, quatrocentos e quarenta e oito reais), acréscimo de meio ponto percentual;
VI – de R$ 10.448,01 (dez mil, quatrocentos e quarenta e oito reais e um centavo) até R$ 20.896,00 (vinte mil, oitocentos e noventa e seis reais), acréscimo de dois inteiros e cinco décimos pontos percentuais;
VII – de R$ 20.896,01 (vinte mil, oitocentos e noventa e seis reais e um centavo) até R$ 40.747,20 (quarenta mil, setecentos e quarenta e sete reais e vinte centavos), acréscimo de cinco pontos percentuais; e
VIII – acima de R$ 40.747,20 (quarenta mil, setecentos e quarenta e sete reais e vinte centavos), acréscimo de oito pontos percentuais.
§ 2º A alíquota, reduzida ou majorada nos termos do disposto no § 1º, será aplicada de forma progressiva sobre a base de contribuição do servidor ativo de quaisquer dos Poderes da União, incluídas suas entidades autárquicas e suas fundações, incidindo cada alíquota sobre a faixa de valores compreendida nos respectivos limites.
§ 3º A alíquota de contribuição de que trata o § 1º, com a redução ou a majoração decorrentes do disposto nos incisos I a VIII do mesmo parágrafo, será devida pelos aposentados e pensionistas de quaisquer dos Poderes da União, incluídas suas entidades autárquicas e suas fundações, e incidirá sobre o valor da parcela dos proventos de aposentadoria e de pensões que supere o limite máximo estabelecido para os benefícios do Regime Geral de Previdência Social, hipótese em que será considerada a totalidade do valor do benefício para fins de definição das alíquotas aplicáveis.
Art. 2º A Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil, a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital e o Serviço Federal de Processamento de Dados – SERPRO adotarão as providências necessárias ao cumprimento do disposto nesta Portaria.
Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de 1º de março de 2020.
ROGÉRIO MARINHO
Este conteúdo não substitui o publicado na versão certificada.”

Mais conteúdo no livro Previdência Social

Gostou de saber mais sobre a nova alíquota da previdência? Então aproveite e inscreva-se na nossa Newsletter e receba mais informações no seu e-mail!

LEIA TAMBÉM

 

Tags: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Aristeu de Oliveira
    Aristeu de Oliveira

    É professor de cursos empresariais e ex-professor do Instituto Cultural do Trabalho (SP), tendo ministrado mais de 400 cursos abertos e 300 in company, nas áreas trabalhista e previdenciária. É graduado em Administração de Empresas, área em que também concluiu créditos de mestrado. Fez cursos de especialização nas áreas Previdenciária e de Recursos Humanos. Tem mais de 40 anos de experiência profissional e é autor de mais de 20 livros de práticas trabalhista e previdenciária. É diretor da A. Oliveira Recursos Humanos.