31 de agosto de 2020

Você sabe o que são operações Long-short?

por Juliano Pinheiro

Conforme abordei nas semanas anteriores, existem duas formas de investir em ações: à vista e a prazo. As operações à vista são aquelas em que os negócios são realizados e liquidados à vista.

No Mercado à Vista, é possível montar estratégias segundo a ordem em que as operações de compra e venda são realizadas (começando pela compra de ações, pela venda ou por meio de compras e vendas simultâneas).

Uma estratégia muito utilizada no mercado de ações é a Long-short. Nesta operação, compra-se e vende-se simultaneamente ações de uma empresa (nominais e preferenciais, por exemplo) ou de duas.

A execução dessa estratégia requer o aluguel das ações a serem vendidas e a adoção de critérios de seleção dos pares de papéis a serem negociados, que sejam condizentes com o objetivo específico perseguido.

Objetivos das operações Long-short

 
Os dois principais objetivos das operações Long-short são:

  • Direcionais: o investidor busca ganhar na oscilação de preços das cotações das duas ações, esperando variações relativas (para alta ou para a baixa ou ainda em direções opostas) diferenciadas entre os ativos negociados.
  • Redução do risco: considerando que as ações podem ser impactadas de formas diferente por um determinado fator de risco e ao entrar com posição contrária nessas duas ações, o movimento de uma ação no mercado pode minimizar o efeito na outra ação.

Na montagem das operações de long-short direcionais, quando escolhemos ações de duas empresas diferentes, uma na ponta compradora e outra na ponta vendedora, várias situações podem ocorrer com as ações envolvidas, levando a resultados positivos e negativos.

Vejamos os possíveis resultados considerando a empresa “X” como ponta compradora e a “Y” como ponta vendedora:

Situação de Ganho

  • A cotação da empresa X aumenta mais do que a de Y.
  • A cotação da empresa X cai menos do que a de Y.
  • A cotação da empresa X aumenta e a de Y diminui ou se mantem constante.
  • A cotação da empresa X permanece constante e a de y diminui.

Situação de Perda

  • A cotação da empresa X aumenta menos do que a de Y.
  • A cotação da empresa X cai mais do que a de Y.
  • A cotação da empresa X mantem-se e a de Y aumenta.
  • A cotação da empresa X permanece constante e a de y aumenta.

Já a montagem da estratégia long-short para redução de risco está fundamentada na verificação de padrões na correlação entre as variações de preço de pares de ações. O foco dessa estratégia é a identificação dos fatores ou variáveis-chaves (por exemplo, a taxa de câmbio ou o preço de uma commodity), que podem afetar os preços das ações utilizadas na operação de maneira diferente.

Uma forma de identificar esses padrões é através do cálculo das médias móveis, obtido pela divisão das cotações dos ativos escolhidos. A partir da observação dos movimentos dessas médias móveis, podemos identificar oportunidades de entradas e saídas nas estratégias Long-short. Isto porque espera-se que o padrão histórico da média móvel seja restabelecido após os desvios temporários.

Partindo do pressuposto de que o comportamento das médias móveis pode ser utilizado como base para a construção da estratégia long-short para redução de risco, o aumento ou a queda no valor da média móvel pode sinalizar momentos de compra e venda das ações. Como exemplo disso temos as seguintes interpretações:

Situação nº1: aumento do valor da média móvel.

Diante dessa situação deve-se comprar a ação que caiu de preço (ou subiu menos) e vender a ação que subiu de preço (ou caiu menos), na expectativa de que na correção da média móvel essas ações tenham um efeito contrário que permitirá a redução da média móvel.

Situação nº2: redução do valor da média móvel.

Diante dessa situação deve-se vender a ação que caiu de preço (ou subiu menos) e comprar a ação que subiu de preço (ou caiu menos, na expectativa de que na correção da média móvel essas ações façam o movimento contrário para aumentar a média móvel.

Agora que você já conhece as estratégias para investir em operações de Long-short, saiba como operar vendido no mercado de ações à vista.

FONTE: JULIANO PINHEIRO

Mais conteúdo no livro Mercado de Capitais

newsletter

LEIA TAMBÉM

 

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Juliano Pinheiro
    Juliano Pinheiro

    Juliano Lima Pinheiro É Doutor e Mestre em investimentos e mercado de capitais, professor e palestrante. Ao longo de mais de 30 anos de uma trajetória profissional abrangente, Juliano Pinheiro passou pela vivência prática como executivo em instituições financeiras e gestoras de investimento, como conselheiro em instituições representativas de mercado como Anbima e Apimec, e também pela área de ensino e pesquisa acadêmica atuando em cursos de MBA, doutorado, mestrado e graduação do Ibmec, FDC, PUC e UFMG. De 2007 a 2018, montou e foi o Diretor de Gestão da Fiere Investimentos, uma Gestora de Recursos, gerindo fundos de investimento e administrando carteiras para clientes. Detentor da Medalha Economista Paulo Camilo de Oliveira Pena em 2013, Juliano é referência na área de Mercado Financeiro e Mercado de Capitais. Atualmente é Vice Presidente Executivo do IBEF-MG, leciona na UFMG nos cursos de graduação e pós-graduação do Departamento de Ciências Contábeis e realiza palestras por todo o Brasil.