2 de dezembro de 2019

Plano de carreira: aprenda a criar o seu com dicas do prof. Djalma Rebouças!

por Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira

Um plano de carreira deve conter algumas questões básicas, as quais são apresentadas a seguir, em uma ordem sequencial que você pode – e deve – respeitar para facilitar o seu delineamento, dentro de um programa de orientação profissional.

Essas partes – que podem representar fases de uma metodologia de elaboração e aplicação – do plano de carreira são:

a) Análise do mercado atual e futuro, com a finalidade de obter o máximo de informações, incluindo a identificação de algumas oportunidades – “coisas boas” – e ameaças – “coisas ruins” – que poderão ocorrer a curto e médio prazos;

Para essas análises, você pode debater cenários estratégicos, que representam situações que podem ocorrer no mercado – de trabalho –, inclusive em um momento a mais longo prazo.

b) Estabelecimento da sua visão, ou seja, o que você quer ser, como pessoa e como profissional;

Algumas pessoas chamam essa visão de “sonho”, com o que não concorda este autor, pois essa análise deve ser mais palpável e crível.

O período de tempo para consolidar essa visão pode ser de curto, médio ou longo prazo, dependendo da realidade de cada pessoa, mas o importante é que tudo que essa pessoa fizer em sua vida profissional, e também pessoal, a esteja direcionando para essa visão.

c) Identificação de seus valores pessoais, os quais representam o conjunto de seus princípios, crenças e questões éticas fundamentais para a sustentação de todas as suas decisões, pessoais e profissionais, ao longo de sua vida;

d) Análise e estabelecimento da vocação e da capacitação profissional que você tem para com uma determinada profissão identificada como interessante, no momento, e em um futuro próximo ou distante, pois, geralmente, não é muito interessante se ficar “pulando de galho em galho” em sua vida profissional;

Nesse contexto, você deve elencar os seus pontos fortes e fracos com referência à sua profissão, em um determinado contexto específico.

Pode-se considerar, também, nesse momento, a realização de uma análise vocacional, a qual pode ajudar você no processo de identificar o seu futuro “ideal”.

e) Estabelecimento da vantagem competitiva que você vai apresentar, para enfrentar – e vencer – os seus concorrentes em um emprego, ou em uma evolução profissional na empresa onde já trabalha;

f) Estabelecimento dos objetivos e metas que você vai alcançar em sua vida profissional, considerando uma evolução profissional ao longo do tempo;

g) Identificação das estratégias ou ações que vai operacionalizar para alcançar os objetivos e metas estabelecidos em seu plano de carreira. Portanto, aqui o contexto é o da “fazeção” na realidade profissional de cada indivíduo;

h) Estabelecimento de um resumo de código de ética profissional que você vai respeitar ao longo de sua vida, estabelecendo a sua personalidade profissional;

Esse é um resumo do processo de elaboração de um plano de carreira, sendo ele de elevada importância para o delineamento do seu futuro profissional.

Mais conteúdo no livro Coaching, Mentoring e Counseling

Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba dicas no seu e-mail!

LEIA TAMBÉM

Tags: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira
    Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira

    - Atuação profissional: Consultor de empresas, palestrante, professor universitário e autor de livros de administração focados, principalmente, em questões estratégicas e organizacionais das empresas. - Formação educacional e experiência profissional: Graduado, pós-graduado, mestre, doutor e livre-docente em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP). Professor concursado de graduação e pós-graduação da referida faculdade, sendo o criador e docente das disciplinas “Consultoria empresarial”, “Reengenharia estratégica, organizacional e de processos” (mestrado e doutorado) e “Administração estratégica” (doutorado). Professor concursado de graduação e pós-graduação da Fundação Getulio Vargas (FGV), bem como professor dos cursos de pós-graduação da Fundação Vanzolini/Politécnica/USP, do CEAPOG/IMES (também exercendo a coordenação dos cursos), da FAAP e do MBA/IBMEC. Exerce suas atividades profissionais como consultor em planejamento estratégico, estrutura organizacional e sistema de informações gerenciais e como Diretor de PLANOS – Planejamento, Organização e Sistemas, tendo realizado serviços de consultoria e treinamento em, aproximadamente, 300 empresas – inclusive no exterior –, sempre junto a executivos focados em sua evolução profissional nas empresas e na aplicação dos modernos conceitos e práticas da administração.