24 de setembro de 2019

Resenha: Valuation – Métricas de Valor e Avaliação de Empresas

por Alexandre Assaf Neto

O livro Valuation – Métricas de Valor & Avaliação de Empresas, de Alexandre Assaf Neto, traz as métricas de valor e valuation de maneira moderna e crítica, utilizando técnicas e conceitos atuais.

Organizado em uma sequência lógica de assuntos, o livro aborda os principais temas relacionados à área, como: fundamentos da gestão baseada em valor, fundamento das medidas financeiras de avaliação de desempenho dos negócios, custo de capital e estrutura de capital, conceitos, formulações e aplicações das principais medidas de valor econômico – sem contar as metodologias e técnicas de avaliação de empresas. Além disso, são tratados diversos casos ilustrativos sobre temas que abordam situações relevantes encontradas no cotidiano da avaliação de empresas.

Aplicação do livro

 
Valuation – Métricas de Valor & Avaliação de Empresas está direcionado para ser usado como texto de estudos em diversas disciplinas oferecidas em cursos superiores de Economia, Administração e Contabilidade, e também para cursos de pós-graduação – MBA lato sensu.

A obra é recomendada também para analistas financeiros, consultores, gestores e profissionais de mercado que procuram se atualizar com o tema valuation e criação de valor.

Nota à 2ª edição

 
Esta nova edição do livro Valuation: métricas de valor e avaliação de empresas foi determinada principalmente pela crescente aceitação por profissionais financeiros de mercado, e também pela sua ampla adoção como livro-texto em cursos de graduação e pós-graduação.

Esta segunda edição traz importantes melhorias voltadas à qualidade da obra, envolvendo o aspecto didático, atualizações e ampliações de conteúdo e revisões de texto:

• A segunda edição incorpora uma ampla revisão de todo o conteúdo do livro, envolvendo digitação, cálculos e fórmulas, tabelas e quadros. Foi priorizado, sempre que possível, simplificar as demonstrações de alguns cálculos e soluções de exemplos ilustrativos.

• Todos os dados de mercado foram atualizados, assim como foram incluí-dos alguns novos indicadores.

• Foram introduzidos, entre outras novidades, um estudo do custo de capital próprio das empresas em comparação com a dos EUA, e um item que resume de forma analítica os critérios de cálculo do custo total de capital (WACC).

• Destaque deve ser dado ainda ao novo estudo: Tópico Especial – Aquisições Alavancadas – LBO, inserido ao final do livro.

Resenha: Valuation - Métricas de Valor e Avaliação de Empresas

Prefácio do livro Valuation – Métricas de Valor e Avaliação de Empresas

 
A ideia de escrever este livro surgiu de diversas motivações acadêmicas e profissionais. Inicialmente, apesar da disponibilidade de bons livros sobre o assunto no Brasil, sempre sentimos que faltava uma obra que abordasse as métricas de valor e o processo de valuation mais próximos da realidade brasileira.

Grande parte dos livros adotados no Brasil foi elaborada por autores estrangeiros, fixando-se preferencialmente em seus ambientes de mercado. A nova ordem contábil trouxe inúmeras contribuições positivas; porém, ao mesmo tempo, permitiu que algumas interpretações excedessem em seu âmbito de competência.

O poder de explicar o passado dos balanços é insuperável e indispensável aos analistas; porém, isso não determina sua capacidade preditiva, sua qualidade sempre reconhecida em apurar a valor presente o valor econômico justo dos ativos. Para tanto se fazem necessárias variáveis importantes não consideradas no processo de contabilização, como por exemplo o custo de oportunidade, o valor da sinergia, valor do controle, valor da marca, entre outras. A soma dos valores “justos” dos ativos, apurados individualmente, não equivale ao valor justo da empresa; há ainda um caminho a percorrer para se chegar ao enterprise fair value.

Para muitos pensadores não é objetivo essencial da Contabilidade a determinação do fair value dos ativos, talvez propondo aos seus usuários entender o futuro pelo que ocorreu no passado. A Contabilidade é forte no controle e avaliação do desempenho da empresa e de seus gestores. A formulação do valor justo é complexa, apura sempre um valor estimado e não definitivo, ou inquestionável, e demanda técnicas, metodologia e conhecimentos nem sempre presentes em relatórios contábeis elaborados pelas empresas.

O fair value é formado por expectativas futuras de geração de benefícios econômicos, pela capacidade de crescimento e agregação de valor da empresa, e não pelo seu sucesso ou fracasso passado. O livro trata das principais métricas de valor, não se centrando em algumas poucas ou naquelas desenvolvidas pelos próprios autores. Adota uma visão imparcial na exposição dos conceitos e técnicas, sugerindo seus méritos e limitações. Não há uma medida financeira perfeita, que possa ser aplicada nas mais diferentes situações; o diferencial está na escolha correta e no bom uso dessas medidas, no entendimento da informação apurada, nos ajustes necessários das informações primárias e no reconhecimento dos limites do resultado apurado.

O objetivo foi sempre o de evidenciar o cálculo dos indicadores de valor, a interpretação dos resultados, e apontar suas limitações. Assim, somos de opinião de que não existe uma única medida econômica de valor ótima, superior a todas as demais; o importante é saber identificar a melhor métrica a ser utilizada em cada caso, aquela que mais se ajusta às condições e objetivos da avaliação, e interpretar corretamente o significado e os limites de seus valores apurados.

Os temas valuation e criação de valor passaram a ter maior importância no Brasil principalmente após o período de privatizações de empresas e abertura econômica, verificado principalmente a partir da década de 1980. A globalização demonstrou na prática o que a teoria de Finanças repete desde seus primórdios: as empresas devem demonstrar capacidade em produzir valor econômico para serem atraentes aos investidores de mercado, para justificarem sua existência econômica, sendo o objetivo de qualquer empresa maximizar a riqueza de seus proprietários.

Não basta somente o lucro contábil, o tamanho dos ativos ou o volume de vendas, o relevante é o resultado que excede ao custo de oportunidade dos provedores de capital. Essa realidade trouxe novos parâmetros para a avaliação de empresas no Brasil, tornando o valor apurado mais confiável e próximo dos investidores.

Nesse contexto mais moderno e competitivo do mercado, passou-se a aceitar que lucro não é a simples diferença entre receitas de vendas e despesas, ou também que ativo não é somente a soma dos bens, direitos e haveres mantidos por uma empresa. Lucro e ativos são conceitos econômicos e, como tal, devem ser avaliados pelo seu valor eco-nômico criado, pelas suas expectativas futuras em produzir um retorno em excesso e utilizando uma taxa de oportunidade que exprime adequadamente o risco do investimento.

O objetivo de uma empresa para os seus acionistas não está em seu valor total de mercado, mas no valor que supera o montante do capital investido, seja ele tratado a valor histórico, reposição ou de liquidação. É o que se entende por “riqueza econômica” e costuma ser denominado de goodwill.

Um aspecto desafiador das métricas de valor e do processo de valuation é ajustar o cálculo de seus diversos parâmetros à realidade de nosso mercado. A preocupação se inicia com o conceito genuíno e mensuração do lucro operacional, reconhecidamente mensurado de forma errônea pela nossa Contabilidade; com as dificuldades de cálculo do custo de capital próprio no Brasil, sendo processado geralmente por benchmark; com a realidade de nossas altas taxas de juros e dos créditos subsidiados presentes desde longa data em nosso mercado de capitais, fazendo com que o custo do dinheiro seja muitas vezes função da origem e não do uso dos recursos; com a dificuldade adicional de se definir uma estrutura ótima de capital pela relação incorreta entre retorno e risco, além da baixa oferta de crédito de longo prazo; com a forte concentração de capital verificada em nossas empresas, impossibilitando uma formação mais justa do preço de negociação das ações; com um mercado secundário de títulos de renda fixa ainda apresentando pouca liquidez e poder informativo; entre outras limitações.

O livro não tem a pretensão de esgotar o tema ou de criar um novo modelo de valuation e criação de valor. É uma obra que trata as várias partes do tema cobrindo seus aspectos essenciais e mais relevantes, adotando uma profundidade necessária para o aprendizado, visando também direcionar e motivar o leitor para estudos mais avançados. O principal objetivo do livro é o de tratar as métricas de valor e valuation de forma moderna, crítica e utilizando técnicas e conceitos atuais.

Prof. Alexandre Assaf Neto

Gostou de saber tudo sobre o livro Valuation – Métricas de Valor e Avaliação de Empresas? Então não se esqueça de assinar nossa Newsletter para receber dicas no seu e-mail!

LEIA TAMBÉM

 

Tags: , , , , , , , , , , ,
  • Alexandre Assaf Neto
    Alexandre Assaf Neto

    Economista e pós-graduado (mestrado e doutorado) em Métodos Quantitativos e Finanças no exterior e no país. Possui o título de livre-docente pela Universidade de São Paulo (USP). Professor Emérito da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) da USP e atua como professor e coordenador de cursos de desenvolvimento profissional, treinamentos in company e cursos de pós-graduação lato sensu – MBA. Autor e coautor de vários livros e mais de 70 trabalhos técnicos e científicos publicados em congressos e em revistas científicas com arbitragem no país e no exterior. Consultor de empresas nas áreas de Corporate Finance e Valuation e parecerista em assuntos financeiros.